sábado, 25 de agosto de 2007

INDEX: 2007

Ontem (24 de agosto de 2007 para os perdidos) foi um grande dia para designers de todo o mundo. Ou melhor, foi um grande dia para alguns designers específicos do mundo; no caso, os integrantes das 5 equipes premiadas no INDEX: , o maior prêmio da categoria atualmente.
Se é realmente o maior eu não sei, pelo menos o site oficial assim o afirma. Eu não duvido nada, já que 100.000 euros (euros!) na mão de cada um deles é algo com certeza substancioso.
São cinco as categorias que concorreram ao prêmio, cada qual com o seu afortunado campeão: Corpo, Casa, Trabalho, Diversão e Comunidade. Ainda teve a Escolha do Público, que pelo que eu entendi ganhou um forte abraço como congratulação.

(and the Oscar goes to...)

Corpo: Mobility for each one (Mobilidade para todos)



O canadense Sébastien Dubois mobilizou-se com o fato de que anualmente 25.000 pessoas são mutiladas; em sua maioria civis vítimas de minas terrestres. A tecnologia para próteses já existe e está relativamente bem mais barata do que quando foi inventada; porém ainda custa entre 1.300 e 4.000 dólares americanos, valor ainda inacessível para muitos.
Sua proposta de alguma maneira faz das tripas coração e consegue ser construída com apenas oito dólares americanos, utilizando materiais facilmente disponíveis a todos e montado em qualquer oficina segundo os padrões da Cruz Vermelha.
Fascinante, se realmente puder ser construído em qualquer lugar, digamos, em Serra Leoa, e com materiais que sejam realmente acessíveis.

Casa: Solar Bottle (Garrafa solar)



Fato: Um sexto da população mundial (mensagem de tico e teco : mais de um bilhão de pessoas!) não tem acesso à água potável e bebe diretamente de fontes duvidosas, aumentando perigosamente o seu risco de contrair doenças como diarréia, cólera, tifo e até mesmo hepatite A.
Os designers Alberto Meda e Francisco Gomez Paz fizeram uso de um sistema de tratamento de água já existente chamado SODIS, baseado na sua exposição aos raios solares ultravioletas e infravermelhos. O projeto Solar Bottle adaptou esta tecnologia ao uso doméstico. Com uma face transparente (a ser direcionada ao sol com a ajuda de um apoio) e a outra em alumínio, a desinfecção dos quatro litros de capacidade é total em algumas horas.

Trabalho: Tongue Sucker (Sugador de língua)



É sabido que a demora pelo atendimento em casos de acidentes complica e muito a vida dos acidentados. Em alguns casos, acaba nem fazendo diferença se a ajuda chega ou não; e muitas das situações onde os primeiros minutos são cruciais ao tratamento se devem à obstrução das vias respiratórias pela língua.
O Tongue sucker, que mais parece o nome de um pirulito ou brinquedinho de criança, é provavelmente um item que logo vai constar em todos os kits de primeiros socorros, visto que sua simplicidade permite que qualquer leigo saia por aí sendo superman por um dia.
É fácil:
1) Aperte a pequena bolha de plástico para tirar o ar de dentro dela;
2) Posicione o dispositivo sob a língua do pobre coitado e solte; e pressão negativa vai puxar a língua para cima, abrindo uma passagem para o ar circular;
3) Seja o héroi do dia.
Desenvolvido por Philip Greer, Lisa Stroux, Graeme Davies e Chris Huntley, estudantes do Imperial College e do Royal College of Art de Londres.
Nota do redator: Fazer projeto em equipe de quatro sempre dá pancadaria, pelo menos lá na minha faculdade. Deve ter sido a living hell o projeto desses quatro aí.
Nota 2: Redator, hahaha. O cara tem um blog e já se acha. Tá...

Diversão: Tesla Roadster



Ok, todo mundo gostaria muito de ter sua língua desobstruída em caso de acidente. Mas a vida não se trata apenas de sobreviver, mas também de viver, certo?
E viver bem também é viver livre de culpa; o uso continuado de carros movidos a combustíveis fósseis tem aumentado o peso da minha consciência toda vez que saio dar um rolé.
Meus problemas se acabaram, ou quase; se acabarão no dia em que tiver uns trocados para comprar essa belezoca aí da foto.
O Tesla Roadster é um carro 100% elétrico, que demora cerca de três horas e meia para recarregar por completo. O mais assustador é o fato de que o carro deve rodar a um custo de um centavo por milha percorrida...
Não sei de qual centavo eles tão falando, mas mesmo que seja o centavo de libra (o centavo mais caro do mundo), é uma piada perto dos preços praticados pelos cartéis do petróleo.
Vamos pra praia nesse fds? certamente vai ser uma frase muito mais comum para mim no dia em que tiver um desses na garagem. Elon Musk, Diretor da Tesla Motors, Martin Eberhard, Diretor Executivo da empresa e Barney Hatt, designer do Lotus Design Studio pretendem lançar o Tesla Roadster no mercado até 2010. Esperar pra ver.

Comunidade: XO Laptop



99% das crianças de países em desenvolvimento terminam a escola sem nunca ter utilizado um computador. Partindo da idéia de que esse panorama mundial só tende a piorar, visto que a exclusão digital torna a população carente menos qualificada a possuir um emprego razoável, toda uma galera (Rebecca Allen, Christopher Blizzard, V. Michael Bove, Yves Behar, Walter Bender, Michail Bletsas, Mark Foster, Jacques Gagne, Mary Lou Jepsen, Nicholas Negroponte e Lisa Strausfeld) desenvolveu esse protótipo para ser utilizado por crianças. Isso quer dizer:
* Tamanho de um caderno;
* Mais leve que uma lancheira;
* Monitor brilhante, visto que em vários países as escolas são muito engraçadas, não têm teto, não têm nada. Então precisa ser visível mesmo sob a luz do sol;
* Resistente a impactos;
* À prova de umidade;
* Possuir um sistema de conexão à internet pelo celular e por wireless;
* Três opções para carregar a bateria: um pedal, uma corda e uma manivela.

Nota do ganancioso: equipe de 11 pessoas. Isso dá um prêmio de 9.100 euros para cada um. Sacanagem hein.

Escolha do Público: Antivirus



Finalmente, a escolha do público, talvez sensibilizado pelo projeto ter vindo de alguém que sofreu as consequências do descaso médico. Quando criança, a singapuriana Hân Pham passou um longo tempo doente por ter recebido uma vacina por meio de uma agulha contaminada.
Hoje, depois de ter recebido uma transformação da xuxa e virado linda, loura e dinamarquesa, ela desenvolveu uma espécie de tampa que pode ser colocada sobre latinhas de alumínio, de forma que depois de dispensada, a agulha não pode mais ser retirada do receptáculo. O projeto foi aclamado por abraçar também o conceito de sustentabilidade e disponibilidade de materiais, já que latinhas de alumínio existem até mesmo nas esquinas mais insólitas do nosso planeta.

O INDEX: acontece a cada dois anos em Copenhagen, e foi criado pelo príncipe herdeiro da Dinamarca.

via Portal G1

Escrever esse post foi cansativo. Alguém me traz um suco?

Um comentário:

Dario disse...

Aula que tive com o professor Gaspar:

"Arquitetura, design, arquitetura e design, design e arquitetura"